23 de julho de 2012

ORIENTAÇÃO E NAVEGAÇÃO DE AVENTURA


O que é orientação e Navegação de Aventura?

É um esporte no qual, a pé ou através de um meio de transporte não motorizado, percorre-se um percurso previamente determinado, descrito em um mapa de orientação e balizado por pontos de controle, em meio aos mais variados terrenos: Florestas, campos, parques, áreas urbanas e etc.

O principal diferencial deste esporte em relação aos demais, é o fato de que  deve-se ter a capacidade de interpretar sinais, determinar posições em relação ao terreno e buscar caminhos que facilitem a progressão sobre o mesmo.

Este é um prática de esporte que pode ser praticado por pessoas de todas as idades. Seus benefícios vão além da saúde física, sobretudo na parte mental, pois para quem o pratica regularmente proporciona o desenvolvimento da auto-confiança, estimula a tomada de decisões, ensina a estabelecer metas, cumprir e alcançar objetivos.

Como praticá-lo?

Para praticar este esporte não é necessário possuir uma grande forma física, nem conhecimento prévio sobre regras. Basta saber "ler" um mapa de orientação e dependendo do terreno e do grau de dificuldade do percurso escolhido, a utilizar uma bússola e GPS.

O mapa de orientação

Um mapa de orientação é a representação gráfica, em escala, detalhada e colorida, de todo o terreno pelo qual será percorrido um determinado trajeto. Nele encontramos informações sobre o relevo, edificações, tipos de vegetação, redes de estradas, trilhas e outros aspectos relevantes que auxiliam a orientação em uma área desconhecida, além dos pontos de controle pelos quais, obrigatoriamente, deve-se passar.

Todavia, pode-se utilizar outros modelos de mapas, mas, este devem ser em uma escala grande.

Figura 01: Mapa temático utilizado em Corridas de Aventura.

Pode-se utilizar também mapas confeccionados em programas como GPS TrackMaker. Logo, o importante é que este mapa possua detalhes da área onde se pretende navegar.

Onde praticar orientação e navegação em Belém?

Uma boa opção para prática de orientação e navegação de aventura é o Parque Ambiental do Utinga que oferece um área de 1.340 hectares. O parque apresenta vários tipos de vegetação: da terra firme típica da floresta até áreas alagadiças como várzeas. Matas, capoeirões e capoeiras também abrigam centenas de mamíferos, aves, répteis e anfíbios.

Lá também estão localizados os mananciais dos lagos Bolonha e Água Preta, que abastecem mais de 60% da população metropolitana de Belém, o que torna possível conhecer a Estação de Tratamento de Águas durante uma visita.

O Parque Estadual do Utinga (Peut) criado em 1993 é uma área de preservação mantida pela SEMMA - Secretaria Estadual de Meio Ambiente, com o apoio do BPA - Batalhão de Policiamento Ambiental, que realiza a segurança, fiscalização, proteção e ainda utilizasse do espaço para fazer a soltura de animais e treinamento militar.

Figura 02: Mapa temático do Parque Ambiental do Utinga.
Fonte: Elaboração Própria, 2011.

O Parque ainda recebe em seu espaço o Exército, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Corpo de Bombeiro Militar, que utiliza a área para desenvolver atividades de treinamento de busca e resgate em área de selva.

Figura 3: Equipe do Corpo de Bombeiros Militar desenvolvendo atividade de orientação e navegação em área de cobertura vegetal. Foto: Arquivo Leonardo Sousa.

O Parque também oferece atividades de "Educação, Lazer e Turismo. Lá pode-se receber educação ambiental com palestras, assistem a vídeos educativos e a teatro de fantoches

Contudo, para prática de trilhas, caminhadas, orientação e navegação de aventura deve-se ter autorização da SEMMA e o acompanhamento do Batalhão de Policia Ambiental, Corpo de Bombeiros Militar ou empresa credênciada e especializada nesta modalidade de esporte.


Referência

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Representações Cartográficas

Globo - representação esférica, em escala pequena, dos apectos naturais e artificiais de uma figura planetária, com finalidade ilustrativa.

Mapa - representação plana, em escala pequena, delimitada por acidentes naturais ou políticos-administrativos, destinada a fins temáticos e culturais.

Cartas - representação plana, em escala média ou grande, com desdobramento em folhas articuladas sistematicamente, com limites de folhas constituídos por linhas convencionais, destinada a avaliação de distância e posições detalahadas.

Planta - tipo particular de carta, com área muito limitada e escala grande, com número de detalhes consequentemente maior.

Mosaiso - conjunto de fotos de determinada área, montadas técnica e artisticamente, como se o todo formasse uma só fotografia. Classifica-se como controlado, obtido apartir de fotografia aéreas submetidas a processos em que a imagem resultante corresponde à imagem tonada na foto, não controlado, preparado com o ajuste de detalhes de fotografia adjacentes, sem controle de termo ou correção de fotografia, sem preocupação com a precisão, ou ainda semicontrolado, montado combinando-se as duas características descritas.

Fotocarta - Mosaico controlado, com tratamento cartográfico.

Ortofotocarta - fotografia resultante da transformação de uma foto original, que é um perspectiva central do terreno, em uma projeção ortogonal sobre um plano.

Ortofotomapa - conjunto de várias ortofotocartas adjacentes de uma determinada região.

Fotoíndice - montagem por superposição das fotografias, geralmente em escala reduzida. É a primeira imagem cartográfica da região. É o insumo necessário para controle de qualidade de aerolevantamentos utilizados na produção de cartas de métedo fotogramétrico.

Carta Imagem - imagem referênciada a apartir de pontos identificáveis com coordenadas conhecidas, superposta por reticulado da projeção

Revista Geografia, Conhecimento Prático, n 23, p 54. ed. Escala