18 de julho de 2010

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA A AQUISIÇÃO DE DADO

       INFRA-ESTRUTURA NACIONAL DE DADOS ESPACIAIS

       Desde os primórdios da Cartografia e da produção de dados geoespaciais, todo processo de produção cartográfica destinava-se a obtenção de mapas em ambiente analógico. Em produtos analógicos, como por exemplo, Cartas Topográficas, as principais informações são transmitidas ao usuário por meio de representações cartográficas que, frequentemente, substituem a geometria dos dados geoespaciais.
     A informação, desta forma, fica restrita a sua representação, limitando assim a quantidade de informações, sejam elas topológicas, não-espaciais ou temporais, dentre outras, a ser repassada.
     Neste caso, detalhes da geometria dos dados não necessitam ser adquiridos por não serem representados. Para estes produtos, o Manual Técnico T34-700, I parte, editado pela DSG, descreve os dados geoespaciais, enquanto o Manual Técnico T34-700, II parte define a forma de representação dos dados.
       Com o advento da cartografia digital, um maior número de informações pode ser representado e,assim surge a necessidade de definir como adquirir todos os detalhes da geometria. Regras para adquirir a geometria e atributos correlatos, além de garantir a homogenização da produção nacional dos dados geoespaciais, tornam possível a automatização da cartografia com a implementação de processos.
      Esta especificação busca padronizar e orientar todo o processo de aquisição da geometria dos dados geoespaciais vetoriais, presente na ET-EDGV da CONCAR, seja qual for o insumo utilizado (levantamento de campo, fotografias aéreas, imagens de sensores orbitais etc), visto que estes processos de aquisição são similares.

Baixe Manual: http://www.geobases.es.gov.br/portal/images/stories/geobases/arquivos/et-adgv_v1.01.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Representações Cartográficas

Globo - representação esférica, em escala pequena, dos apectos naturais e artificiais de uma figura planetária, com finalidade ilustrativa.

Mapa - representação plana, em escala pequena, delimitada por acidentes naturais ou políticos-administrativos, destinada a fins temáticos e culturais.

Cartas - representação plana, em escala média ou grande, com desdobramento em folhas articuladas sistematicamente, com limites de folhas constituídos por linhas convencionais, destinada a avaliação de distância e posições detalahadas.

Planta - tipo particular de carta, com área muito limitada e escala grande, com número de detalhes consequentemente maior.

Mosaiso - conjunto de fotos de determinada área, montadas técnica e artisticamente, como se o todo formasse uma só fotografia. Classifica-se como controlado, obtido apartir de fotografia aéreas submetidas a processos em que a imagem resultante corresponde à imagem tonada na foto, não controlado, preparado com o ajuste de detalhes de fotografia adjacentes, sem controle de termo ou correção de fotografia, sem preocupação com a precisão, ou ainda semicontrolado, montado combinando-se as duas características descritas.

Fotocarta - Mosaico controlado, com tratamento cartográfico.

Ortofotocarta - fotografia resultante da transformação de uma foto original, que é um perspectiva central do terreno, em uma projeção ortogonal sobre um plano.

Ortofotomapa - conjunto de várias ortofotocartas adjacentes de uma determinada região.

Fotoíndice - montagem por superposição das fotografias, geralmente em escala reduzida. É a primeira imagem cartográfica da região. É o insumo necessário para controle de qualidade de aerolevantamentos utilizados na produção de cartas de métedo fotogramétrico.

Carta Imagem - imagem referênciada a apartir de pontos identificáveis com coordenadas conhecidas, superposta por reticulado da projeção

Revista Geografia, Conhecimento Prático, n 23, p 54. ed. Escala