7 de julho de 2011

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DE OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIO


A análise de estatísticas de incêndio em prol da segurança pública é um processo sistemático de produção de conhecimento, realizado a partir do estabelecimento de correlações entre fatos ocorridos (constantes de boletins de ocorrências bombeiro militares) e padrões e tendências de ocorrências num determinado tempo e lugar.

É de entendimento intuitivo a necessidade, da parte do Estado, do conhecimento advindo da análise de estatísticas das ocorrências de incêndios. Através delas, a segurança pública pode gerir eficaz e eficientemente seus recursos, com o propósito de controlar, e o fim último de neutralizar, manifestações deste tipo de ocorrência.

Na análise de estatísticas de incêndio pode-se utilizar as funções estatísticas de análise de dispersão de dados de destas ocorrências. Os produtos da análise de incêndio também servem o propósito de apoiar as áreas estratégica, tática e administrativa das organizações de segurança pública, orientando o planejamento e emprego de recursos humanos e materiais no sentido da prevenção e repressão do fenômeno de incêndio. Os produtos da análise contribuem, de maneira específica, para as atividades de investigação, esclarecimento de fatos e gestão das organizações bombeiros militar no suporte de suas atividades.

Figura 1 - Mapa de vulnerabilidade para incêndio por bairros do Centro de Belém.


Os produtos da análise de estatísticas de incêndios, de maneira geral, constituem as bases sobre as quais se podem realizar a gestão destas ocorrências. A análise de ocorrências de incêndio inclui a identificação de parâmetros temporais e geográficos das ocorrências, proporcionando indicações que poderão contribuir para seu esclarecimento, incluindo a identificação de áreas de risco.

Figura 2 - Mapa de densidade de incêndio em Belém (2008) e cobertura de Hidrantes.


Através dos dados referentes às unidades bombeiro Militares e ocorrências de incêndios por bairros (2008) e localização dos hidrantes, obtidas pelo Comando Operacional do CBM-PA, gerou-se mapas de cobertura dos hidrantes operacionais e densidade de incêndio por bairros e cobertura de hidrantes, que dão exemplos de uma visão diferenciada da situação, que nos proporciona conhecer melhor uma região para futuras tomadas de decisões e ainda servir como uma alternativa de alto valor para o tratamento das informações das ocorrências de incêndio, salvamento e etc...


 
Fonte de dados
Base vetorial da Companhia de Habitação do Estado do Pará com metadados de elipsóide SAD69, projeção UTM, datum SAD69 zona 22 sul, e sistema de coordenadas métricas e a o planilha de dados de incêndios fornecidos pela Divisão de Controle e Estatística do CBM-PA. Imagem colorida “falsa cor”, obtida a partir das imagens Landsat TM-5, 14/08/2008, Imagem Landsat, Composição: R5, G4 e B4 2008.

Bibliográficas
FLOREZANO, Teresa Iniciação em Sensoriamento Remoto – São Paulo: Oficina do Texto, 2007.
FITZ, P.R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina do Texto, 2008.

Um comentário:

  1. Muito bom saber que tem alguem se preocupando com nossa cidade e principalmente com nossa gente. Estudos como esse são de extrema importância para todos nós.

    ResponderExcluir

Representações Cartográficas

Globo - representação esférica, em escala pequena, dos apectos naturais e artificiais de uma figura planetária, com finalidade ilustrativa.

Mapa - representação plana, em escala pequena, delimitada por acidentes naturais ou políticos-administrativos, destinada a fins temáticos e culturais.

Cartas - representação plana, em escala média ou grande, com desdobramento em folhas articuladas sistematicamente, com limites de folhas constituídos por linhas convencionais, destinada a avaliação de distância e posições detalahadas.

Planta - tipo particular de carta, com área muito limitada e escala grande, com número de detalhes consequentemente maior.

Mosaiso - conjunto de fotos de determinada área, montadas técnica e artisticamente, como se o todo formasse uma só fotografia. Classifica-se como controlado, obtido apartir de fotografia aéreas submetidas a processos em que a imagem resultante corresponde à imagem tonada na foto, não controlado, preparado com o ajuste de detalhes de fotografia adjacentes, sem controle de termo ou correção de fotografia, sem preocupação com a precisão, ou ainda semicontrolado, montado combinando-se as duas características descritas.

Fotocarta - Mosaico controlado, com tratamento cartográfico.

Ortofotocarta - fotografia resultante da transformação de uma foto original, que é um perspectiva central do terreno, em uma projeção ortogonal sobre um plano.

Ortofotomapa - conjunto de várias ortofotocartas adjacentes de uma determinada região.

Fotoíndice - montagem por superposição das fotografias, geralmente em escala reduzida. É a primeira imagem cartográfica da região. É o insumo necessário para controle de qualidade de aerolevantamentos utilizados na produção de cartas de métedo fotogramétrico.

Carta Imagem - imagem referênciada a apartir de pontos identificáveis com coordenadas conhecidas, superposta por reticulado da projeção

Revista Geografia, Conhecimento Prático, n 23, p 54. ed. Escala