27 de agosto de 2014

INSTRUÇÕES DE CARTOGRAFIA, ORIENTAÇÃO E NAVEGAÇÃO PARA SEGURANÇA PÚBLICA

No mês de agosto realizou-se a capacitação de Profissionais de Segurança Pública para utilização de mapas topográficos, bússola e GPS, objetivando-se: dominar os principais conceitos espaciais e sua representação, utilizar os recursos cartográficos no apoio a tomadas de decisões para planejar ações com a utilização dos recursos cartográficos.

Dia 13 agosto Georreferenciamento na Segurança Pública no Curso de Unidades Especializada de Fronteira - 22º Ed. EPFRON - 2014.
 
 Figura 1 - Alunos do Curso de Unidade Especializadas de Fronteiras.
 
Dia 19 e 20 agosto para Curso de capacitação Teórico profissional da Companhia Independente de Policia Fluvial – CIPFlu - Ações Fluviais.

Figura 2 - Alunos do Curso de Ações Fluviais.

Os alunos agora poderão interpretar convenções cartográficas, determinar posições e direções em relação ao terreno para buscar o melhor percurso que facilitem a progressão sobre o mesmo, proporcionando o desenvolvimento da autoconfiança, tomada de decisões, estabelecimento de metas a cumprir.
 

Com aula expositiva-dialogada e interacional, com apresentação em slides e práticas conceituou-se cartografia, sistema geodésico brasileiro e outros temas relevantes para ensino-aprendizagem da cartografia. Ensinou-se como obter de coordenadas em cartas topográficas, escalas, medidas de distâncias e definição de azimute, contra azimute e outros. A avaliação foi contínua levando-se em consideração aspectos como participação, interação e prática de campo.
Figura 3 - slides da aula EPFRON.

 
Para 22º Edição do Curso de Unidades Especializadas de Fronteira (EPFRON), ministrou-se sobre Georreferenciamento Aplicado à Segurança Pública, expondo-se um quadro geral sobre noções de geodesia, sistema geodésico de referencia, Noções de Cartografia, sistema de projeções cartográficas e sistema de posicionamento por satélite (GPS). Demonstrar os métodos e técnicas de captura de coordenadas, navegação e a utilização de software de interface para GPS através do TrackMaker.

Figura 4 - Interface TrackMaker com percurso e pontos coletados em exercício prático. 
 Apresentou-se dois trabalhos sobre Georreferenciamento Aplicado à Segurança Pública: GEOPROCESSAMENTO APLICADO A GESTÃO E ANÁLISE DAS OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS URBANOS NO CENTRO HISTÓRICO DE BELÉM-PA - 2009 A 2011 E O MAPEAMENTO DOS HIDRANTES URBANOS DE BELÉM EM AMBIENTE WEB.

Na 2ª Edição do Curso de Capacitação Teórico profissional da Companhia Independente de Policia Fluvial - Ações Fluviais, realizou-se um percurso de orientação com utilização de mapa especial na escala de 1:7.500 com distâncias de 2.5 Km. Em dupla os Policiais Militares, apenas com uma bússola e um mapa passaram por pontos de controle (prismas) juntamente com picotadores, com o qual picotarão o cartão de controle, assinalando sua passagem. Ganhou a dupla que fez o percurso no menor tempo.
 
Figura 5 - Dinâmicas de ensino-aprendizagem desenvolvido nos cursos.

Na figura 6, observa-se a classificação Final dos Policiais Militares durante o exercício de Percurso de orientação de 2.5 Km.
Figura 6 - Classificação final de percurso de orientação.
 Nas aulas práticas, com aparelho de GPS em campo, desenvolveu-se práticas de configurações básicas como mudança de Datum, gravar percurso, mudança de unidades , mudança de tipo de coordenadas e outros. Coletou-se pontos em área de vegetação, realizou-se percursos com GPS e geração de mapas. Utilizaram-se os aparelhos de GPS da marca Etrex 10, 20, 30 e outros.
Figura 7 - Gps's utilizados nos exercícios práticos.

Agradeço a oportunidade ao Sr Sgt. Rosivam PMPA (Abaetetura – GTO), a SENASP, Comandante do CIPFlu, Sr Maj. PMPA Firmino e ao apoio do Sub Ten. Tenório – Presidente do Clube de Orientação Coari, Sub Ten. José Carlos de Araújo e Fabrício Araújo – Relações Públicas do Clube de Orientação Coari.
 Figura 8 - Equipe de trabalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Representações Cartográficas

Globo - representação esférica, em escala pequena, dos apectos naturais e artificiais de uma figura planetária, com finalidade ilustrativa.

Mapa - representação plana, em escala pequena, delimitada por acidentes naturais ou políticos-administrativos, destinada a fins temáticos e culturais.

Cartas - representação plana, em escala média ou grande, com desdobramento em folhas articuladas sistematicamente, com limites de folhas constituídos por linhas convencionais, destinada a avaliação de distância e posições detalahadas.

Planta - tipo particular de carta, com área muito limitada e escala grande, com número de detalhes consequentemente maior.

Mosaiso - conjunto de fotos de determinada área, montadas técnica e artisticamente, como se o todo formasse uma só fotografia. Classifica-se como controlado, obtido apartir de fotografia aéreas submetidas a processos em que a imagem resultante corresponde à imagem tonada na foto, não controlado, preparado com o ajuste de detalhes de fotografia adjacentes, sem controle de termo ou correção de fotografia, sem preocupação com a precisão, ou ainda semicontrolado, montado combinando-se as duas características descritas.

Fotocarta - Mosaico controlado, com tratamento cartográfico.

Ortofotocarta - fotografia resultante da transformação de uma foto original, que é um perspectiva central do terreno, em uma projeção ortogonal sobre um plano.

Ortofotomapa - conjunto de várias ortofotocartas adjacentes de uma determinada região.

Fotoíndice - montagem por superposição das fotografias, geralmente em escala reduzida. É a primeira imagem cartográfica da região. É o insumo necessário para controle de qualidade de aerolevantamentos utilizados na produção de cartas de métedo fotogramétrico.

Carta Imagem - imagem referênciada a apartir de pontos identificáveis com coordenadas conhecidas, superposta por reticulado da projeção

Revista Geografia, Conhecimento Prático, n 23, p 54. ed. Escala