19 de março de 2013

Pontos de maior densidade de incêndio para implementação de câmeras de segurança


A partir da espacialização das ocorrências de incêndio constantes no banco de dados do SISCOB (Sistema de Cadastro de Ocorrências de Bombeiros) em 2011, elaboraram-se mapas de densidade de incêndio da Cidade de Belém em 2011. Através dessas áreas de concentração de incêndios deseja-se determinar possíveis pontos de implantação de câmeras de segurança. A superfície interpolada mostra o padrão de distribuição e concentração de incêndio em Belém no ano de 2011 (Figura 1).

Figura 1 – Distribuição das ocorrências de incêndio em Belém em 2011.
Fonte: Elaboração Santos, L.S.

Observa-se na Figura – 1 que os Bairros do Jurunas, Cremação, São Braz, Guamá, Canudos, Marcos e Pedreira são os que tiveram maior concentração de incêndio em 2011.

De acordo com dados, também foi possível determinar as áreas de concentração de incêndio por mês em 2011. Através da técnica, foi possível distribuir as áreas de concentração de incêndio, afim de melhor estimar os novos pontos de implantação de câmeras de segurança. Na Figura 2, observam-se as áreas de maior densidade de incêndio por meses me Belém.

Figura 2 – Distribuição das ocorrências de incêndio em Belém por mês em 2011.
Fonte: Elaboração Santos, L.S.

Através das áreas de densidade de incêndio por mês, determinaram-se possíveis pontos para instalação de câmeras de segurança em Belém-PA. Examinando-se os pontos críticos elaborou-se tabela com coordenadas dos pontos para implantação de câmeras.

Tabela 1 – Coordenadas e endereço dos pontos de implantação de câmeras de seguranças.


Com coordenadas acima foi possível desenvolver e apresentar a distribuição das novas câmeras de segurança em Belém.


Um comentário:

  1. Uma novidade na prevenção dos incendios são as câmaras térmicas de alta sensibilidade já que podem prevenir o início do fogo com a detecção da fumaça a partir de uma longa distância. Estas câmaras proporcionam uma visão maior através de uma cortina de fumaça densa, e detectan as vítimas permitindo uma compreensão melhor do ambiente neste momento. São muito úteis nas operações de busca e resgate e podem salvar muitas vidas incluindo as dos bombeiros.

    ResponderExcluir

Representações Cartográficas

Globo - representação esférica, em escala pequena, dos apectos naturais e artificiais de uma figura planetária, com finalidade ilustrativa.

Mapa - representação plana, em escala pequena, delimitada por acidentes naturais ou políticos-administrativos, destinada a fins temáticos e culturais.

Cartas - representação plana, em escala média ou grande, com desdobramento em folhas articuladas sistematicamente, com limites de folhas constituídos por linhas convencionais, destinada a avaliação de distância e posições detalahadas.

Planta - tipo particular de carta, com área muito limitada e escala grande, com número de detalhes consequentemente maior.

Mosaiso - conjunto de fotos de determinada área, montadas técnica e artisticamente, como se o todo formasse uma só fotografia. Classifica-se como controlado, obtido apartir de fotografia aéreas submetidas a processos em que a imagem resultante corresponde à imagem tonada na foto, não controlado, preparado com o ajuste de detalhes de fotografia adjacentes, sem controle de termo ou correção de fotografia, sem preocupação com a precisão, ou ainda semicontrolado, montado combinando-se as duas características descritas.

Fotocarta - Mosaico controlado, com tratamento cartográfico.

Ortofotocarta - fotografia resultante da transformação de uma foto original, que é um perspectiva central do terreno, em uma projeção ortogonal sobre um plano.

Ortofotomapa - conjunto de várias ortofotocartas adjacentes de uma determinada região.

Fotoíndice - montagem por superposição das fotografias, geralmente em escala reduzida. É a primeira imagem cartográfica da região. É o insumo necessário para controle de qualidade de aerolevantamentos utilizados na produção de cartas de métedo fotogramétrico.

Carta Imagem - imagem referênciada a apartir de pontos identificáveis com coordenadas conhecidas, superposta por reticulado da projeção

Revista Geografia, Conhecimento Prático, n 23, p 54. ed. Escala